Visão do Autor

Visão panorâmica

Qual foi a última vez que paramos para contemplar o esplendor do céu? Ou a beleza da lua? Ou uma simples paisagem que fosse? Talvez a maior parte das pessoas nem seja capaz de trazer à memória as ações citadas nas indagações feitas acima.

A monotonia proporcionada pela rotina e pela padronização das ações que realizamos muitas vezes nos impede de admirarmos as maravilhas naturais que existem a nossa volta. A maioria de nós tem como instinto natural focar a visão nas coisas que são habituais. Colocamos nossa  atenção em coisas corriqueiras que são figuras constantes em nossos cotidianos.

 

O foco na visão é importante, afinal, é dele que precisamos para a realização de praticamente todas as nossas tarefas diárias. Mas é importante também que saibamos enxergar o todo, notar os recursos naturais que possuímos de maneira geral. Utilizarmos da nossa visão de um modo panorâmico pode servir como alternativa para incorporamos algo novo em nossas rotinas. Somos privilegiados por vivermos em um planeta que possui inúmeras riquezas no que diz respeito à natureza. Sendo assim, devemos dar o valor merecido a tudo isso que nos é proporcionado contemplando as maravilhas que a nós foram concedidas por graça divina.

Pessoas que possuem a habilidade de enxergar de um modo panorâmico são diferenciadas porque conseguem enxergar a beleza e a grandiosidade de coisas que passam despercebidas aos olhos de outros indivíduos. Enxergar assim exige sensibilidade, que por si só já é uma característica muito especial. Convenhamos que pessoas com tal capacidade visual possuem suas exclusividades. Em momentos que não são tão bons, esse olhar pode nos servir como um excelente auxiliador, pois são colocados em segundo plano o mundo, a rotina, as tarefas e todos os problemas. A atenção se volta à grandiosidade das maravilhas que existem a nossa volta e passamos a ter noção de nossa pequenez diante de um universo tão imenso e magnífico que é obra de um Criador Perfeito que expôs sua perfeição em suas obras.

É chegada a hora de darmos valor às maravilhas naturais que nos foram dadas por mérito da soberania de um Deus imensamente benigno. Que possamos aproveitar da perfeição divina sendo refletida por meio de suas inúmeras e tão belas obras. Com toda certeza nada disso surgiu ao acaso, afinal, obras tão grandiosas e perfeitas só poderiam se assemelhar à figura de quem as criou que é o único ser que possui tais características sendo grandioso, glorioso e extremamente perfeito.

­­­­­

Compartilhe isso:
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
%d blogueiros gostam disto: