Poema

Vida de Gabirete.

Recém formada, é agora!

Ensino médio é o que vem, não é?

E…Que tal?

Eu ouvi, Vaga na Federal?

É o orgulho da família!

Mamãe babona, chora na despedida.

Pai, irmão, avô, tia…

”Faça as malas menina, é hora da partida!”

Ganha asas, levanta voo.

O pequeno passarinho,

Agora é o bezerro feio.

Fora de casa e sozinho…

É gabirete? – Perguntam os ”chefes”

Bem, acho que sim.

Então já pode rabiscar!

Vai menina, pede a benção pra T.A.

Família nova, casa nova.

Identidade nova?

Sim, hora do batismo:

”Bichinho, Carniça, Pé no Lixo.”

Se esconde, foge do elefantinho!

Cria tromba, puxa a outra.

Se me solto, lá vem bronca.

E de novo? A bênção da querida T.A.

Já é festa, dia de ”casório”.

T.A ou Dog escolhem  a quem vão desposar.

Lençol branco, vamos nos casar?

Tam dam dam dam! Cheguei ao altar

Fez burrada? Já olha para lá!

”Tinha que ser gabirete!”

“E a falação, vamos parar?”

“Psiu… T.A! T.A! T.A!

Relaxa gabiruzada, logo vai passar!

Vão chegar nossos calouros.

E nós é que diremos:

“Vai, pede a bênção pra T.A!”

Maria Elisa Brito.

Compartilhe isso:
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
%d blogueiros gostam disto: