Poema

Um sussurro de desespero

Eu sou a Mãe-natureza
que desde o berço te acolhi,
dei-lhe o que comer,
E o que vestir.
Nunca lhe pedi nada em troca
Mas, agora, imploro
Que todo meu carinho
Seja recíproco.
Estou morrendo,
Cada dia, sinto-me esvaziando
Minha vida já não é a mesma
Minha flora e fauna estão sofrendo
E por mais que eu tente,
Sozinha não consigo
Com tantos tentando acelerar
Meu óbito a chegar.
Por favor, peço-lhe, apenas,
Respeite-me, com a mesma vontade
Com a qual sempre cuidei de ti.
E quem sabe um dia,
Toda minha energia,
Possa ser restaurada,
E que, quem sabe,
Eu volte a lhe inspirar.

 

Compartilhe isso:
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
Comentários desativados em Um sussurro de desespero

"Ou escreves algo que valha a pena ler, ou fazes algo acerca do qual valha a pena escrever." Benjamin Franklin

%d blogueiros gostam disto: