O Manifesto

O garoto que nascera em mim, em tão mísero tempo de convivência, germinou em meu eu seco e álgido. Uma mudança, da qual sempre tive receio, aconteceu de maneira excessivamente agradável. Derreteste minha frieza e regaste-me em minha natural terra seca, fazendo brotar então um ser novo em mim. A abdicar de meus pensamentos para poder querer-te, coloquei em cheque […]

Continue lendo

Querida ansiedade

Minha cara “amiga”ansiedade, Estou olhando ao meu redor, tudo parece girar, meus pés paro de sentir, tudo começa a flutuar, meus batimentos cardíacos se multiplicam, ou até mesmo triplicam, tudo aparenta desaparecer, minha respiração já está ofegante, tudo vira sinal de alerta. Ando em direção do nada, procuro o fim dessa infinidade, mesmo eu não querendo perdê-la. Minha dor está […]

Continue lendo

Palavras

São apenas palavras jogadas ao vento sem nenhum sentido próprio ou falado, são dores que guardo há anos, palavras acumuladas na garganta que não saem de modo algum sem nem mesmo eu saber o sentido disso; mas que eu me lembre, sempre fui assim, nunca querendo trazer problemas a ninguém ou preocupações maiores. Assim, para que não ficasse  tudo acumulado, […]

Continue lendo

Tchau “Eu”

Já não há em mim a insistência de antes Agora já vejo findarem desilusões Encontrar-me-ei comigo mesmo Ninguém poderá me julgar Pois estarei sozinho Imerso em minhas ideias Não haverá porque esconder meus pensamentos nas noites escuras Pois não haverá  luz ou trevas Haverá ideias Não terei de abafar o pranto em um travesseiro macio Pois estarei com as lágrimas que […]

Continue lendo

] insira o título aqui XXII [

P-o-s-t-e d-e l-u-z. Dez letras, três palavras, iluminação. O que nós seriamos sem postes de luz? Alguém pode me responder? Não? Tudo bem, eu respondo a vocês. Nada. Nós não seriamos nada. Ou quase nada. Quer dizer, ainda seriamos pessoas, com coração, pulmão e tudo mais, mas não teríamos luz. Não luz de postes, pelo menos. Como andaríamos ao anoitecer […]

Continue lendo
1 2 3 4 24