Visão do Autor

Dory, a maléfica mentirosa compulsiva manipuladora!

Antes que vocês venham me criticar, segurem seus dedos e leiam com atenção… A Pixar faz filmes ótimos, isso é verdade (muitos deles me marcaram). Procurando o Nemo é um filme sobre um pai que perde seu filho aleijado e sai em busca dele pelo mar aberto acompanhado de uma debilitada mental e blá blá blá que já sabemos como acaba. Ou será que não? Dory, eu vou te provar agora por A mais B que você está mentindo, e não passa de uma mentirosa, manipuladora, megera, sociopata que se aproveita de pessoas debilitadas. UFA!

Antes de começar a jogar os dejetos no ventilador, vamos falar um pouco sobre a doença dela. (Sério, prestem atenção, eu passei por uma pesquisa muito chata e eu precisei da ajuda de alguns vídeos -que abriram meus olhos- e agora vou tentar passar da maneira mais suave). A amnésia é dividida em duas, retrógrada e anterógrada. Na anterógrada, todo evento que vem após um trauma não é gravado, então a pessoa que tem amnésia anterógrada consegue se lembrar de todo o seu passado (nesse momento, vocês falam, “aaaaah, aquele filme do Adam -Blergh- Sandl-Urrrrg-er. SIM! Não voltemos a esse assunto). Na amnésia retrógrada, todo evento anterior ao trauma é esquecido, mas certas habilidades não são. SIM! Wolwerine é um exemplo, ele lembra que tem que matar alguém, mas não se lembra do porquê. E sim, isso é um sintoma comum da amnésia retrógrada e não, nossa falsa manipuladora não “possui” essa.

Vejamos, na amnésia anterógrada, toda lembrança recente é esquecida facilmente, daí a perda de memória recente. Já sei, já sei, “Mas a Dory sabe ler!”, “Mas a Dory sabe falar Baleiês!”, calma gente! É comum que pessoas com amnésia anterógrada repitam demais certos comportamentos, como a fala e a repetição de frases curtas (“Continue a Nadar”) e se lembrem disso como comandos automáticos. SIM! Dory sabe falar Baleiês, mas não se lembra de como aprendeu, mas de tanto repetir o comando, se acostumou a tal! Colocando em uma linha do tempo, Dory aprendeu baleiês após o seu trauma! Pois bem, aprender línguas é considerado um tipo de memória não-declarativa, ou implícita se preferir, ou seja, Dory sabe ler e falar “baleiês” no piloto automático, mas não sabe de onde essa habilidade vem, enquanto memória declarativa é tudo aquilo relacionado a memórias fatuais, não relacionadas a aprendizado, por isso ela vive esquecendo o nome do Marlin. E mais, mesmo tendo uma memória de curto prazo, já sabe reconhecer o perigo das Gaivotas, (Alguém mais entendeu o que ela quis dizer com, “Oh, Duck!”). Sem se lembrar de onde veio essa memória.

Agora vamos então tentar entender o personagem, apresentando Dory:

Curriculum Vitae

Nome: Dory

Espécie: Paracanthurus hepatus

Habilidades:

-Sabe ler;

-Fala baleies fluentemente;

-Achou o Nemo;

-Reconhece o perigo de gaivotas;

-Oradora do grupo de tubarões veganos;

-Peixes da espécie dela (ao contrário do que se diz) possuem memórias extensas que podem durar até cinco anos!

Okay… Okay…

Até parece que eu estou tentando refutar a teoria (acredite, eu não sou o primeiro a pensar isso).

Mas não!

NÃO! Meu senso de justiça não me permite que você continue com seus planos maléficos, sua pequena… Meretriz azul de CGI.

Mais uma vez, vou abrir aspas para mais um blá blá blá teórico, no império romano, um jovem debilitado chamado Claudius assumiu o trono do império… PERAÍ! Que que isso tem a ver com a Dory? O meio como ele assumiu o trono é bem curioso, apesar de ser debilitado, ele era muito estudado em política. E quando Tiberius e Calígula começaram a exterminar prováveis herdeiros ao trono, não mataram Claudius por achar que ele era inofensivo (Ha, ninguém nunca lembra do deficiente…), assim que Tiberius e Calígula morreram, Claudius assumiu. Usar da sua debilitação para meio de sobrevivência é comum, aliás, se a Dory fosse humana, ela poderia facilmente ser indiciada… Hmmm, acho melhor tirar as crianças da sala.

O primeiro fato que mostra a falsidade da Dory é que ela se lembra do barco que levou Nemo, a lembrança do barco é uma memória declarativa, o tipo de memória que amnésia anterógrada exclui! HA! E mais, de acordo com estudos, é muito comum que pessoas finjam estar debilitadas para atingir um objetivo, em inglês, Malinger, pois é… Mais ainda, um estudo sobre esse distúrbio psicológico mostra que enquanto os que possuem amnésia de verdade tendem a ter uma porcentagem de acerto em testes de memória curta, eles acertam pelo chute (daí a estatísticas), enquanto os malingers têm uma taxa zero de acertos, e mais, eles fingem que não sabem a resposta. Típico de aluno que não lembra a resposta (ahhhhh, éééééééé, acho queeeeee….). Pois é, Dory, acho que sua máscara está caindo.

Mais ainda, malingers tendem a fazer apelos emotivos para manter seus objetivos na linha. Ninguém mais acredita nas suas lágrimas, farsante.

Quer mais? Na cena do cardume, Dory não é capaz de se lembrar de nenhum dos animais feitos pelos peixes, contudo, ela conseguiu durante o filme identificar baleias, caranguejos, gaivotas e tubarões, como ela não pode identificar dois organismos tão simples como um peixe espada e uma lagosta? Mais? Pessoas com memória anterógrada tendem a chutar valores absurdos e longe demais do resultado real, se alguém com memória anterógrada me conhecesse e esquecesse meu nome, me chamaria de Felipe, Renato… Mas chamar de Daniel, Rafael… Me poupe das suas mentiras! FabiO, CheekO, BingO, HarpO, ElmO, NemO? Se fosse só um… Mas não… CINCO?! E para alguém que ficou falando o mesmo endereço filme inteiro, se lembrar só do começo do endereço no fim do filme? Há, isso me soa bem falso! E para alguém que sabe que tubarões comem peixes, fingir que não sabia disso quando encontrou ele… E depois lembrar… E depois esquecer… E ainda lembrar como lançar um míssil? Bem… Acho que a casa caiu!

Pois é… Se ainda não pareceu claro para vocês o que ela fez… Encontrar com um pai solitário, vulnerável emocionalmente e sempre ser a única que parece mais segura em todas as situações de risco não te diz nada? É…

Se meu veredito fosse um, eu diria FRITEM ESSA MEGERA! (Não levando em conta que peixes da espécie dela são altamente venenosos e possuem espinhos perigosos).

P.S: Devo muitos dos fatos apresentados no texto ao canal Film Teorist do Mat Pat, se vocês são manjadores da língua inglesa, recomendo.

Compartilhe isso:
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Um comentário

%d blogueiros gostam disto: