Jovem

Quero o fim das religiões Dessas que põem grilhões Pois elas não passam, na verdade De ladras da liberdade Eu é que sou livre Não creio em nada Não há o que me prive De minha própria derrocada Sou o vanguardista Crítico da hipocrisia Um jovem ultra modernista O terror da burguesia Dos homens-papagaios, sou o melhor Entoo a mais […]

Continue lendo

Qual a probabilidade?

Talvez eu não queira, talvez eu queira.  Talvez me abrace, talvez me ignore.  Talvez te abrace, talvez te ignore.  Talvez te odeie, talvez te ame. Talvez te diga, talvez não diga.   Talvez eu corra, talvez eu fique.   Talvez eu chore, talvez eu sorria.   Talvez me ame, talvez me odeie.  Talvez me queira, talvez me recuse.  Talvez te queira, talvez te recuse.   Talvez eu viva, talvez eu morra.   Talvez eu sente, talvez eu fique em pé.   Talvez peça desculpa, talvez não me arrependa.   Talvez eu durma, talvez eu fique acordada.   Talvez eu saia, talvez eu fique em casa.  Talvez eu estude, talvez eu não estude.   Talvez chova, talvez faça sol.   Talvez eu sinta, talvez eu não sinta.   Talvez eu não queira sentir, talvez eu queira sentir.   Talvez […]

Continue lendo

Humanos

Rumam, incertos, para a certeza Humanos, por certo, inescapáveis à natureza Vagam, a crer piamente na solidez Até daquilo que aos seus olhos se desfez E seus passos, incessantes Ora duvidosos, ora confiantes Têm pouco para dizer: Do mundo, conhecem só o sofrer E nos meandros de seus caminhos No interstício do ser e do não-ser São, para não serem […]

Continue lendo

] insira o título aqui IX [

Sobre as escadas dançantes permanece imerso em dor. Sob as escadas falantes o mesmo se encontra em labor. Sob os frios degraus de um móvel constante, permanece a sensação nauseante. Sob mentiras submersas e verdades doloridas.   Entre os espinhos de uma falsa paixão, algo permanece em solidão. Entre tantos dizeres vive em desalento. Entre tantas alegrias, tantos cantares, transborda […]

Continue lendo

Dúvida

Era infindável até que teve fim E não soube lidar com coisa assim Do instante amado restou a lembrança Inquieta a instigar esperança Ressoava em alto brado indagação Que fazer quanto tudo é ilusão? E até mesmo a eterna promessa Se lhe desfez com toda a pressa Se tudo era aurora dourada Ao grande astro enlaçada Por que veio a […]

Continue lendo

A Vida Escrita em um “Papel”

Acordar “Estudar” Comer Dormir Três anos passar Se formar Para simplesmente ganhar PAPEL   Qualificar Entrar Trabalhar Se matar Para simplesmente ganhar PAPEL “Ganhar” Trocar Gastar Para assim poder O filho também “estudar” Comer Dormir E recomeçar Todo o ciclo vital PAPELístico   Dessa maneira Mais fácil será Apenas plantar Árvores Para simplesmente ganhar PAPEL

Continue lendo
1 2 3 4