IFConnect > Série > Atenciosamente, eu > Carta a uma sociedade centrada na fama

Caro leitor,
Essa é a primeira vez que nos comunicamos, e espero que consigamos dialogar colocando em pauta temas intrinsecamente ligados à vida, à sociedade e ao convívio que temos com ela. Talvez com essa primeira carta, não consiga me apresentar da melhor maneira, provavelmente você só passe a saber quem eu sou e a minha opinião sobre as coisas cotidianas ao decorrer das nossas conversas.
Ontem, tivemos a infelicidade de receber a notícia de que um famoso cantor havia sofrido um acidente aéreo. Quantas pessoas morrem todos os dias, é triste receber tais notícias. A morte causa dor e sofrimento, mas não estou aqui pra falar de morte, na verdade, utilizarei dela apenas como um pretexto para adentrar no tema dessa carta.
Pessoas morrem,  no entanto quando famosos morrem, é gerada comoção em âmbito geral, mas porque tal coisa não acontece quando pessoas comuns, trabalhadores que labutam todos os dias não são lembrados em seu momento fúnebre!?
Não estou questionando tal “amor” por essas pessoas, mas sim a falta de amor, muitas vezes, por pessoas que convivem conosco todos os dias. Nossa sociedade é centrada em famosos. Ironicamente, se um famoso pega um resfriado, vira notícia internacional. Contudo pessoas que dão suas vidas para construir um mundo melhor, não são lembradas.
Talvez seja hora de focarmos mais naquele que está próximo de nós, do que naqueles que dão IBOPE e que muitas vezes nem sequer sabemos quem de fato são, e sim quem a mídia passa a respeito deles. Fica a dica, não estou dizendo para esquecermos os famosos, mas apenas para não centrarmos nossas vidas neles. Ame quem realmente te ama.
Atenciosamente, eu.

Compartilhe isso:
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •