IFConnect > Poema > Apenas mais uma mulher

Era jovem
Tinha pele alva
Caminhava sozinha pelas ruas
Altas horas da madrugada
Usava short curto
Mas nunca dizia nada
Atravessava a calçada a cada homem que passava
Temia a sociedade
Cruel, que a julgava
Era apenas uma mulher de opinião própria
Que andava de cabeça erguida ignorando as opiniões que de promíscua lhe denominava
Correu o quanto pode
Naquela fria noite
Quando o “não” foi ignorado
Por um homem de meia idade
Chorou, gritou e implorou
Mas oras, foi ela quem procurou
Quando aquele short curto colocou
Era agora, nada além de uma pobre alma
Uma vítima injustiçada
E ainda assim, mesmo que morta
Fôra julgada culpada

Compartilhe isso:
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •