SE É QUE?

Se é que sou poeta,
Se é que posso escrever,
Diria que preferia não ser
E lutaria contra o poema que insiste em nascer.

Se é que sou alguém
Se é que posso amar
Preferia ir além
E nunca me apaixonar.

Se é que tenho força
Se é que quero viver
Me deitaria agora
Pra eternamente adormecer.

Se é que alguém me conhece
Se é que se lembram de mim
Alguns nunca me esquecem
Mas pra outros cheguei ao fim.

Sarah Silva

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *