] insira o título aqui XIX [

Querido diário,

Estive tentando compreender o porquê de você ter tanta importância para mim; o porquê do meu escrever incessante dia após dia. Busquei entender como suas folhas simples, de papel com flores no canto, puderam se tornar minhas mais confidentes amigas. Quis, inclusive, buscar maneiras de te agradecer, mas nada parecia ser suficiente.

Passei a escrever palavras mais bonitas, de formas mais corretas; achei que merecia que eu me esforçasse. Andei usando marca-textos coloridos, adesivos e papéis decorados; acreditei que, da forma que te vejo, você deveria ser lindo aos olhos dos que não são capazes de se entregar como eu posso. A você.

De tanto pensar por mim, o que você me levou a pensar, resolvi que a melhor forma de agradecer era a mais simples: dizendo obrigada. Obrigada por me ouvir quando mais ninguém era capaz de me entender. Por me permitir chorar quando pensei que ninguém mais fosse digno de ver meus olhos cobertos por lágrimas. Gostaria de agradecer, querido diário, por me conhecer na forma mais crua e sincera e fazer com eu me conhecesse da mesma forma. Obrigada por ser meu espelho; por me mostrar em todas as dimensões possíveis.

 

Com amor,

Eu.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *