Apenas um sem caminho

Do breve instante
Entre o grito sufocante
E o derradeiro suspiro
Apenas respiro

Em meio à multidão
Que me retrai o coração
Escuto ecos de vidas
Apenas fingidas

Inapto para viver
Um desvalido a vagar
Vago até no falar

Alheio a qualquer jeito de ser
Existo, perdido e sozinho
Apenas um sem caminho

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *