Sai Dessa, Chama ela pra Jogar

Você joga algum jogo eletrônico? Desde Candy Crush™ no celular até Overwatch™ no PC… Você já sofreu algum assédio ou ofensa por não jogar tão bem ou simplesmente por ser do sexo feminino?

Isso, infelizmente, acontece e com frequência. Já parou pra pensar no quanto é ruim ser julgado pelo seu sexo?

A Game Brasil divulgou uma pesquisa que diz que 52,6% do público brasileiro que joga algum tipo de jogo eletrônico é do sexo feminino, no entanto apenas cerca de 6% se consideram gamers.

Nas palavras do mito Zangado: “Ser gamer é muito mais do que ser simplesmente um jogador. É um estilo de vida que traz lições importantes, como acreditar em si mesmo, nunca desistir diante dos obstáculos, e mostrar que rivalidade não significa inimizade.”

Se você um dia “zoou” ou assediou alguém simplesmente por ser do sexo feminino, não só (mas também) durante um jogo, saiba que você é… Babaca.

Um caso muito interessante: o pai de uma garota de 10 anos que joga Overwatch™ no PS4 ficou preocupado com os frequentes xingamentos e assédios que sua filha recebia sempre que usava o sistema de chat por voz do game. O pai, por orientação de um amigo, entrou na comunidade Overwatch-Brasil pedindo ajuda. Ele apenas perguntou se havia alguma menina com idade semelhante à de sua filha, disposta a jogar com ela e explicou toda a situação. O post teve grande repercussão e um feedback muito positivo. A garota passou o dia jogando e fez vários amigos no game.

São comuns ocorrerem casos parecidos como o da jogadora Nicolle “CherryGumms” Merhy, líder e capitã da equipe BlackDragons de Rainbow Six Siege. Após sua equipe vencer a Pain Gaming em um jogo da Elite Six, recebeu vários xingamentos machistas, até mesmo de simpatizantes da equipe que após a vitória, descobriram que se tratava de uma mulher. A jogadora diz que pensou em desistir do mundo dos games, ela que é uma das únicas, se não a única jogadora profissional da América Latina. Mas com o apoio de sua família, amigos e muitos fãs, a pro-player repensou e disse com toda certeza: “Eu vim para ficar!“.

Poderia citar também o caso de um jogador de 25 anos de idade que joga C.S GO que foi banido de competições por mil anos por assediar uma garota de 15 anos. – Sim, você leu certo, 1000, MIL ANOS.

E você, que xinga alguém em um jogo por ser mulher ou não, para de ser babaca, amigo. Você já parou pra pensar se esse alguém está passando por alguma dificuldade? Você que se acha o bonzão, lembre que também já foi ruim, tente ajudar ao invés de simplesmente ficar “chorando”.

E só uma dica, quando você quiser levar uma surra  se cansar do single-player, chama ela pro X1 ;D

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *